‘Apagando Cicatrizes’: projeto artístico promete colorir Nova Friburgo por meio dos grafites

Após a tragédia de 2011, as nativas matas com variados tons de verde deram lugar aos cinzentos muros de contenção devido à queda de barreiras. Mas para que o colorido volte à esses lugares, o Vinícius Figueira e o Robson “Sark” criaram o projeto “Apagando Cicatrizes”, que promete levar a identidade, referência e mais cores para Nova Friburgo através dos grafites. Só que, para isso, necessita-se de liberações burocráticas por parte do Governo Municipal.

Criada em 2019, a iniciativa partiu de dois artistas no rumo do grafite que sempre foram apaixonados por Nova Friburgo. Em entrevista ao programa “Toda Manhã”, da TV Zoom, Robson, um dos idealizadores, aponta que amigos cariocas veem a cidade como um lugar reconhecido somente pela tragédia e pelo polo de moda íntima, e reitera que o projeto tem o objetivo de mudar isso. Além deste, um outro objetivo é a transformação da dor de perda da catástrofe climática de 2011 em artes contemporâneas.

O projeto tem o intuito de transformar a história dos muros de contenção através da arte, fazendo com que a lembrança da tragédia seja amenizada com cores, histórias e movimento. Fazendo assim, a arte ser protagonista, onde lembranças ruins hoje são o maior legado deixado pelo ocorrido.” – diz Robson.

Projeto em Prática

Há dois anos lutando por aprovações, já que alguns muros são públicos e pertencem ao Município, os criadores da iniciativa contam que as liberações pesam para que o projeto ande. Robson relata que apoiadores já deixaram de ajudar pela demora de processos para aprovação. Porém, para que não haja uma nova frustração, o grafiteiro afirma:

“Hoje estamos fazendo diferente. Queremos ter as liberações e corremos atrás do patrocínio pra cada mural. A ideia é conseguir apoio de empresários interessados.”

O que diz o Governo Municipal

No entanto, a Prefeitura de Nova Friburgo, desde o último governo, aponta que a aceitação do “Apagando Cicatrizes” não tem de vir do governo para a população, mas sim, que aconteça ao contrário. Por isso, realizamos uma pesquisa para saber o que os friburguenses acham quanto ao colorir a cidade:

Foi demonstrada uma grande aceitação do público. Porém, segundo os idealizadores, cada pasta municipal relata uma situação. Robson nos conta que, desde a última conversa, parece que representantes da PMNF tem um certo receio quanto a aceitação popular. Pensando nisso, eles criaram um abaixo-assinado que conta com mais de 600 assinaturas.

Para um posicionamento sobre os fatos, nós entramos em contato com a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, que, em nota, respondeu que “Secretaria de Cultura informa que já tomou conhecimento do projeto ‘Apagando Cicatrizes’ e que tem interesse em apoiá-lo. Um novo diálogo deve ser estabelecido para encontrar caminhos viáveis para sua execução.”

Se aprovado pelos próximos meses, Vinicius e Robson já têm planos, inclusive revelou qual será o primeiro muro a receber o grafite:

Vamos voltar à falar com os empresários para levantar a verba necessária e começar os trabalhos. O primeiro [muro] que queremos fazer é o que fica no Centro, atrás do Cavalo Preto, porque é o muro mais próximo do público, que vai ser mais fácil conseguir patrocínio, e o custo não é tão alto por não ter tanto equipamento de segurança.”  – afirma o artista.


Psicologia da Arte

As artes, sem dúvida, são os melhores meios para um momento de descontração, relaxamento, contemplação e pensamento. Com isso, a psicóloga friburguense, Josiane Faltz, conta como uma arte feita pelo grafite, onde as cores e arte urbana estão tão ativas, podem chamar atenção de uma pessoa no dia-a-dia:

“Os grafites evidenciados nas paredes da cidade, ou seja, a arte urbana, podem causar a sensação de um lugar bem cuidado e de bom gosto… Grafite normalmente é feito com misturas de desenhos e cores, e essas cores podem trazer um misto de emoções a quem vai apreciá-las, como a sensação de tranquilidade, de calmaria, de serenidade, de admiração, de alegria, criatividade, entre muitas outras. Ou seja, a arte em diferentes formas é algo que agrada e causa sensações satisfatórias ao ser humano. Tendendo diminuir a ansiedade de um dia agitado pelas ruas de uma cidade.” – analisa a profissional.

Diante de muitas artes descritas nesta matéria, como a de informar, de colorir, de renovar e da psicologia, podemos constatar também… O grafite é arte! O desenho é arte! O Brasil é arte! Nova Friburgo é arte!

Segundo Vygotsky: “a arte é trabalho do pensamento, mas de um pensamento emocional inteiramente específico.”

– Citação sugerida por Josiane Faltz, psicóloga.

Por Luiz Marcelo Iezzi e Beatriz Sorrentino

Um comentário em “‘Apagando Cicatrizes’: projeto artístico promete colorir Nova Friburgo por meio dos grafites

  • 22/04/2021 em 14:04
    Permalink

    Achei o máximo essa ideia, inclusive poderiam pintar o muro de contenção na Estrada da Granja do céu,minha mãe plantou diversas plantas na calçada dele ia ficar lindo!Seria um cartão postal para aquela comunidade!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *