COMBATE À COVID-19: Defesa Civil do Estado desenvolve manual de medidas de higienização para o transporte de mercadorias

A demanda dos serviços de transporte e entrega de medicamentos, alimentos, materiais de higiene pessoal e de limpeza, aumentou consideravelmente nos últimos meses devido a pandemia do novo coronavírus e ao isolamento social.

Por ser considerado um serviço de utilidade pública, o atendimento à população não pode ser interrompido neste momento. Porém, é necessária a proteção não só dos clientes, mas também das empresas e de seus funcionários. Deste modo, a Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec-RJ), através do Instituto Científico e Tecnológico (ICTDEC), determinou algumas medidas de higienização e cuidados necessários.

Pensando na prevenção e no controle da COVID-19, as recomendações visam a higienização das embalagens e manuseio dos produtos, com a empresa responsável pelo serviço de entrega, com os funcionários transportadores, com os veículos e claro, com o cliente final.

As medidas tratam também do treinamento e monitoramento da saúde dos funcionários, com objetivo de motivá-los a perceberem sintomas como tosse seca, nariz escorrendo, dificuldade de respirar, febre, para informarem de imediato à empresa.

Caso algum trabalhador apresente os sintomas da Covid-19, ele deve ser afastado e orientado a procurar um hospital imediatamente. O treinamento de seus funcionários para o uso do equipamento de proteção individual (EPI) também é de extrema importância, além da forma pela qual a mercadoria deve chegar ao cliente, que também deve fazer uma nova higienização dos produtos e das mãos.

As orientações deram origem ao manual “Medidas de Higienização para Transporte de Carga no Estado do Rio de Janeiro”, que foi pensado para garantir a proteção de todos os setores envolvidos nos serviços, o que vai muito além dos cuidados só com os produtos entregues.

O documento foi desenvolvido em parceria com a Profª Adriana Leiras, do Laboratório Humanitarian Assistance and Needs for Disasters (HANDS), do Departamento de Engenharia Industrial (DEI) do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), voltado para pesquisas em Logística Humanitária e Gestão de Operações em desastres, crises e emergências; a Major Renata Albergaria de Mello Bandeira, professora dos Programas de Pós-graduação em Engenharia de Transportes e de Engenharia de Defesa e membro do Subgrupo de Logística Humanitária do Instituto Militar de Engenharia (IME); e Tharcísio Cotta Fontainha, professor do Programa de Engenharia de Produção da Coppe/UFRJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *