Defesa Civil Estadual realiza mapeamento das áreas com maior possibilidade de inundações no Estado do Rio

A Defesa Civil Estadual, Sedec-RJ, realizou um mapeamento das áreas com maior possibilidade de inundações no Estado do Rio de Janeiro. O trabalho foi feito com base em dados dos últimos 23 anos.

Com o estudo, é possível identificar ameaças e cenários críticos para cada mês do ano, de acordo com a sazonalidade, possibilitando a tomada de decisões técnicas. O trabalho, que é realizado pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Defesa Civil (Cepedec) com apoio do Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ), também faz uma estimativa da população afetada por este tipo de evento em cada época do ano, contribuindo para a gestão de desastres e favorecendo as ações de prevenção.

O mapeamento das ocorrências é baseado na análise dos decretos de Situação de Emergência (SE) disponibilizados no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD), do Ministério da Integração Nacional (MI), e no levantamento de fatores relevantes, como precipitação, declive, corpos hídricos, ocupação demográfica e alterações no uso e cobertura do solo.

A representação cartográfica considera três níveis de ameaça, sendo elas baixa, média e alta e de acordo com o mapeamento anual, Nova Friburgo possui um risco baixo/médio para possíveis inundações. Em relação à população atingida pelo evento, o percentual no regime anual é de 3% a 5%.

Segundo o Tenente-Coronel Werner, diretor do Instituto Científico e Tecnológico de Defesa Civil (Ictdec), as inundações são os desastres naturais de maior recorrência e danos no mundo. No Estado do Rio de Janeiro, são responsáveis por quase 70% das decretações de emergência. O objetivo do trabalho é contribuir para uma gestão técnica com base em dados que favoreçam as ações de redução de riscos.

Para o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), com base no material apresentado é possível se antecipar e avaliar com mais precisão os procedimentos operacionais que devem ser tomados e que são necessários para minimizar os danos e prejuízos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *