Friburguenses pedem melhorias no serviço ao invés de aumento na passagem

Entrou em vigor no último sábado, 17, o aumento da tarifa de ônibus de Nova Friburgo. O valor da passagem passou de R$3,95 para R$4,20, um reajuste de 25 centavos. Embora a empresa esteja atuando na cidade através de um Termo de Ajustamento de Conduta, já que o contrato da concessão terminou em setembro do ano passado, o reajuste foi permitido pelo executivo através de um decreto publicado no dia 13 deste mês.

Muitos usuários do transporte público de Nova Friburgo já consideravam a passagem da cidade cara, principalmente quando analisam as distâncias percorridas nos itinerários e condições do serviço prestado.

“As vezes você fica esperando no ponto de 30 à 40 minutos por um coletivo que vem do jeito que vem; todo quebrado, situação nenhuma de higiene para as pessoas andarem e com essa passagem cara.” Reclamou o passageiro Rodrigo Ramos.

De acordo com a empresa NovaFaol, o aumento solicitado foi de R$0,46, cujo R$0,20 foram repassados para os passageiros e os outros R$0,21 serão arcados pela prefeitura através do Fundo de Compensação Tarifária. A direção da prestadora de serviços alega que o aumento é necessário para que haja o reequilíbrio econômico da empresa.

“O que a gente faz é informar o seguinte: o preço do combustível subiu, o salário do pessoal subiu, o preço do ônibus novo subiu e a quantidade de passageiros pagantes, por quem é rateado todo o custo, diminuiu, porque nós hoje temos a gratuidade, por exemplo, de 60 à 64 anos, que tirou 150 mil pagantes do sistema, que passaram a ser gratuitos. Então é uma equação com várias variáveis que compõe essa fórmula que tem que ser analisada”, frisou Paulo Valente.

Decreto suspensivo

Alguns vereadores são contrários ao aumento da passagem de ônibus em Nova Friburgo e entraram com um projeto de Decreto Legislativo para suspender o Decreto Municipal que autorizou o aumento da passagem.

A população esperava que esse decreto suspensivo fosse votado hoje, 20, porém a câmara dos vereadores informou que o assunto não entraria em pauta nesta terça-feira, já que o reajuste já foi publicado em Diário Oficial e está em vigor, fazendo com que o projeto de decreto suspensivo siga todos os tramites legais até ser encaminhado para votação.

Deixe uma resposta