Governo Federal atualiza calendário de pagamentos do Auxílio Emergencial a três novos grupos

O Governo Federal divulgou, na última terça-feira, 25, uma atualização do calendário de pagamentos do Auxílio Emergencial. A Portaria nº 474, assinada pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e publicada no Diário Oficial da União, divide datas de pagamentos dos repasses de R$600 a R$1.200 e para saques em dinheiro e transferências a três novos grupos específicos.

O primeiro grupo abrange as pessoas elegíveis que se cadastraram para receber o benefício em agências dos Correios entre 8 de junho e 2 de julho de 2020. O segundo, inclui os que tiveram o benefício negado num primeiro instante, mas contestaram por meio da plataforma digital entre 3 de julho e 16 de agosto e foram consideradas, posteriormente, elegíveis.

O terceiro grupo é composto pelo público beneficiário do Auxílio Emergencial que recebeu a primeira parcela em meses anteriores, mas que em seguida, teve o pagamento reavaliado em agosto de 2020 devido às atualizações de dados governamentais e verificações de bases de dados oficiais. Após essa triagem, os que foram considerados novamente elegíveis, receberão as parcelas pendentes.

As pessoas que fazem parte dos dois primeiros grupos receberão os créditos da primeira parcela, válidos para compras e pagamentos de boletos e contas, entre 28 de agosto e 30 de setembro, de acordo com o mês de nascimento de cada um. Afim de evitar aglomerações em agências bancárias, os saques em dinheiro serão disponibilizados entre 19 de setembro e 27 de outubro, também levando em conta o mês de aniversário de cada cidadão.

Pertencentes ao terceiro grupo receberão o valor referente a todas as parcelas pendentes também de acordo com esse calendário. O texto da portaria indica, ainda, as datas para recebimento das quatro parcelas seguintes aprovadas pelo Governo Federal para os dois primeiros grupos. 

Segundo a atualização feita pela Caixa Econômica Federal, na manhã desta quarta-feira, 66,9 milhões de beneficiários já receberam os recursos do Auxílio Emergencial do Governo Federal, o que representou R$ 177,5 bilhões em créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *