Mais de 7 mil doses de vacinas são perdidas em Posto de Saúde

Após a repercussão do áudio envolvendo a ex-Secretária de Saúde, Tânia Trilha, o Presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, Wellington Moreira, recebeu uma denúncia de que doses de vacina teriam estragado na madrugada da última terça-feira, 11, no posto de saúde Silvio Henrique Braune, no Suspiro.

Após a denúncia, Wellington esteve na unidade para averiguar o caso. No local, ele constatou a perda de 1.160 doses de H1N1, que seriam destinadas à crianças e pessoas acamadas, e 36 doses da vacina pneumocócicas. Além disso, ele ainda foi informado que no dia 29 de abril foram perdidas 2.787 doses de vacinas diversas; um mês depois, no dia 29 de maio, mais 3.173 doses estragaram, totalizando um número de 7.156 vacinas perdidas em menos de dois meses.

Ainda segundo o Presidente da Comissão, as doses ficam armazenadas em câmaras de refrigeração, que se encontram dentro de uma sala que é coordenada pela Vigilância Sanitária, e que tais equipamentos não estariam em condições adequadas para uso.

Wellington afirma ainda, que a Vigilância Sanitária possui mais de R$ 2 milhões de reais em caixa, uma verba que é repassada pelo Ministério da Saúde, e que já poderia ter sido usada na reforma da sala e dois refrigeradores.

No relato, ele ainda diz que o mau estado dos equipamentos já tinha sido comunicado à ex-Secretária de Saúde por ofício, por mensagens, e até mesmo, pessoalmente. No memorando entregue à antiga gestora da pasta, foi solicitada a manutenção dos refrigeradores e a manutenção preventiva do gerador de energia. Mas até o final da sua gestão, nada foi feito.

O Presidente, junto a sua equipe, já denunciou o caso para o Ministério Público, Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde.

Entramos em contato com a Prefeitura para esclarecer as demais informações passadas pelo Presidente da Comissão da Saúde, e em nota, o executivo afirma que “De acordo com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde, as geladeiras que acondicionam as vacinas passam regularmente por manutenção corretiva mas realmente houve alguns problemas técnicos, com desligamento durante a madrugada, inutilizando algumas doses para uso. Ao todo, estima-se a perda de aproximadamente sete mil doses de vacinas diferentes, como contra H1N1, gripe e pneumonia.” O executivo esclarece ainda, que “houve comunicação formal por escrito e verbal às secretarias de Saúde do Município e do Estado a respeito do problema, e que a Prefeitura já adotou algumas providências, como aquisição de três novas câmaras, sendo que uma veio com defeito e já está sendo providenciada a substituição pela empresa responsável; e instalação de novos equipamentos e a equipe de Obras e Serviços Públicos já estiveram no local para iniciar os reparos necessários na estrutura do espaço onde as vacinas são acondicionadas. Segundo a Subsecretaria, a perda de doses de vacina contra gripe não impactou na campanha, uma vez que a ocorrência se deu após o município atingir a meta estipulada para a cidade.”

Sobre a verba de R$ 2 milhões de reais citada pelo Presidente da Comissão de Saúde, também questionamos a Prefeitura se realmente existe essa quantia em caixa da Vigilância Sanitária, mas não obtivemos resposta sobre o assunto.

Relação de vacinas perdidas no dia 29 de abril

Deixe uma resposta