MEC quer promover acessibilidade nos cinemas do país

Salas de cinema de todo o Brasil vão poder promover acessibilidade a pessoas cegas, surdas e autistas. A proposta é do Ministério da Educação em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco. A assinatura do acordo foi feita na tarde de terça-feira, 29.

O projeto é voltado para unidades da Federação que queiram implementar a iniciativa em seus cinemas e outros tipos de espaços públicos. Mais de 40 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência vivem no Brasil. Esse dado foi divulgado pelo presidente da Fundaj, Antônio Campos, no encontro.

A Fundação promete disponibilizar cerca de 20 filmes nacionais com produção de acessibilidade comunicacional, ou seja, fones com audiodescrição para cegos e pessoas com baixa visão, além da Língua Brasileira de Sinais e legenda para surdos e ensurdecidos.

Para o público autista, a adaptação das salas de cinema acontecerá com o som e luzes do ambiente reduzidos. Para os cegos, serão colocadas maquetes em braile nas entradas, facilitando a identificação dos lugares e das saídas de emergência.

A ideia do cinema acessível é baseada em um experimento feito desde 2017, pela Fundaj, em Pernambuco, local da sede da fundação, onde mais de 3,5 mil pessoas já assistiram produções nacionais com acessibilidade.

Foto: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *