Polícia Civil realiza coleta de DNA para ajudar a identificar desaparecidos

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio do Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense (IPPGF), realiza nesta semana mutirão para coleta de DNA de familiares de pessoas desaparecidas. A expectativa é dobrar o banco de perfis genéticos do Rio de Janeiro voltado para a busca de desaparecidos, que hoje conta com 1.280 amostras.

Para participar desta campanha, pais, filhos e irmãos de mesmos pai e mãe de desaparecidos podem requerer uma coleta, que será realizada a partir desta segunda, dia 14, até sexta-feira, 18, em 13 postos espalhados por todas as regiões do estado, entre eles, um está em Nova Friburgo, na PRPTC, que fica localizada na Avenida Presidente Costa e Silva, 834 – Centro.

A coleta é simples, feita passando na parte interior das bochechas do familiar, com uma espécie de suporte contendo uma pequena esponja na extremidade, semelhante a um cotonete. O projeto faz parte de uma campanha do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *