Transporte público: prefeito se pronuncia após boatos sobre paralisação

Na tarde de ontem, 14, o Prefeito Johnny Maycon usou suas redes sociais para se pronunciar sobre os rumores de uma possível paralisação da empresa Nova Faol, que presta o serviço de transporte público na cidade. De imediato, ele aproveitou para relembrar que a concessionária ficou 28 meses sem contrato no governo anterior, sendo 10 meses de pandemia, e nunca reclamou da ausência de contrato.

Outro assunto lembrado por Johnny Maycon foi que em 2017 a empresa tinha mais de mil funcionários e, com o passar dos anos, e a falta de acompanhamento da antiga gestão municipal, a Nova Faol, de forma injusta, demitiu mais da metade dos funcionários, reduzindo também dezenas de ônibus da frota, prejudicando o usuário desse tipo de transporte.

O gestor municipal falou também sobre a tentativa de se firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a empresa. Porém, de acordo com ele, a mesma tem só se esquivado, pois a prefeitura quer colocar no TAC um dispositivo que garanta ao município a aplicação de penalidades, algo que não é possível desde o vencimento do contrato em setembro de 2018. Em contrapartida, a Nova Faol apresentou um TAC colocando o valor de tarifa em R$ 5,90, o que segundo Johnny Maycon é o “cúmulo do absurdo”, visto a precariedade que o serviço se encontra atualmente. Diante disso, essa proposta foi negada pelo governo atual.

Quanto a insistência da empresa na cobrança de subsídios para a prefeitura, o prefeito afirma que não há base legal para tal cobrança, pois o município não tem obrigação, segundo o Ministério Público, de realizar esses tipos de pagamentos. Ele relembra que a situação é o contrário, a empresa quem deve pagar o município já que há uma dívida acumulada de mais de quatro milhões de reais, que a prefeitura segue insistindo na cobrança.

No final, Johnny Maycon tranquilizou a população quanto a possível paralisação do serviço, dizendo que se, de fato, houver essa interrupção, a Procuradoria Geral do Município está preparada para tomar todas as providências judiciais, se assim for necessário.

Para assistir ao vídeo na integra, clique aqui.

Foto: Reprodução/Redes sociais.

Por Isabella Chaboudt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *