Prefeito visita SASE para avaliar situação de descaso do prédio

Na manhã de ontem, 24, o prefeito Johnny Maycon visitou o prédio de Serviço Social de Assistência Evangélica (SASE), acompanhado dos representantes da entidade. Segundo a nota enviada para a nossa equipe, contendo a fala do próprio prefeito, essa ida ao SASE foi para avaliar o espaço que está em situação de descaso a anos pelas gestões municipais anteriores.

A atual situação do prédio sofre diversas queixas dos moradores do entorno, devido a ocupação dos moradores de rua. Quanto a isso, a Secretaria de Assistência Social foi mobilizada para prestar apoio às essas pessoas que estão lá.

A Secretaria de Obras também foi ao local para promover uma avaliação da estrutura e fazer com que dessa forma, o governo atual consiga identificar possíveis caminhos para chegar a uma solução para essa situação caótica na cidade.

Segundo o governo municial, há um processo que corre na justiça em desfavor do município com uma dívida multimilionária com os proprietários do SASE.

“A prefeitura perde, perdem os proprietários do prédio, mas principalmente a população que tem boas lembranças em relação ao SASE que foi um dos grandes equipamentos de saúde de Nova Rriburgo. Depois que a gente tiver um entendimento interno, vamos dar publicidade à toda população sobre o que a prefeitura terá condições de fazer e, eventualmente, o que não terá.” disse o prefeito.

O que é o SASE?

O Serviço Social de Assistência Evangélica (SASE) é uma instituição, sem fins lucrativos. Antigamente, chegou a oferecer para a população serviços na área da saúde, também já colaborou para a manutenção de projetos sociais e até serviu de abrigo para vítimas da tragédia de 2011. Foi aí que a entidade entrou com uma ação na justiça, contra a prefeitura, alegando abandono do imóvel e dívidas atrasadas.

Vale ressaltar que, nas gestões anteriores até se tentava bloquear o prédio para que não fosse invadido pelos moradores de rua, porém não adiantou muito, eles acabavam conseguindo entrar. Esta situação continua igual. Estamos em 2021 e o prédio continua abandonado e servindo de abrigo para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Por Isabella Chaboudt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *