Projeto friburguense é criado para atender crianças com necessidades especiais

Um projeto foi desenvolvido na Firjan SENAI, aqui em Nova Friburgo, visando atender as necessidades especiais de crianças em todo o país. Passo Certo, como foi nomeado, foi idealizado pelo instrutor da organização Fábio Paredes, com o intuito de diminuir o custo do andador infantil, que é um aparato essencial para portadores de doenças congênitas ou adquiridas, em crianças de 4 e 12 anos.

A ideia surgiu depois que a família de um dos alunos da Escola Firjan SESI, que utilizou o aparelho por 5 anos, pediu ao professor que consertasse o equipamento, que não estava mais em uso, para poder ser doado.

O valor original de um andador é de cerca de R$ 3.000, uma quantia muito acima da média para a realidade de vários brasileiros que dependem do equipamento para a locomoção. Além disso, o aparato é vendido apenas em São Paulo, consequentemente, o valor do frete é um custo a mais que pesa no bolso das famílias.

Indignado com a situação, Fábio, junto a um grupo de outros docentes e alunos, colocaram a mão na massa para elaborar um protótipo que custa, em torno de R$ 215. A equipe participou do Concurso do Departamento Nacional do Senai, o Circuito SIS (SENAI, Indústria e Sociedade) e se dedicou ao projeto, a fim de que a iniciativa se transformasse em um produto viável a ser desenvolvido, de acordo com a Metodologia SENAI de Educação Profissional. Assim, qualquer criança ao redor do Brasil, que seja portadora de necessidades especiais, poderá usufruir do aparelho com a mesma qualidade e, aproximadamente, 1.300% mais barato.

O teste do Passo Certo já foi feito em crianças da APAE e a fisioterapeuta que acompanhou, Carla Braga Dias, frisou a importância do dispositivo no tratamento da locomação, que impacta diretamente na postura do jovem. Por conta das rodinhas conectadas na base e o freio, que evita o deslizamento, o procedimento fica muito mais fácil.

A APAE possui apenas um andador para amparar 50 crianças, exatamente pelo valor exorbitante. Com o auxílio do equipamento desenvolvido pelo SENAI, a recuperação das crianças será, com certeza, mais rápida.

A equipe da Instituição planeja que esse e outros projetos possam ser elaborados no curso FabLab ( Laboratório Tecnológico de Prototipagem), por alunos, para que os andadores fiquem prontos, sejam doados e reconhecido como uma iniciativa simples, mas que causa um grande impacto positivo no Brasil e, um dia, em outras partes do mundo.





Deixe uma resposta