Ministério de Saúde recomenda continuação da imunização contra gripe nos municípios

O Ministério de Saúde orientou estados e municípios a partir de ontem, 01, a estender a vacinação contra a influenza a toda a população. Apesar da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe ter sido finalizada no último dia 30 e ter como meta imunizar 100% do público-alvo, 18 milhões de pessoas dos grupos prioritários ainda não se vacinaram. A recomendação do governo se deve para evitar o desperdício das remessas nos locais que não alcançaram a cobertura vacinal integral.

Segundo informações do próprio Ministério de Saúde, 100% das doses da vacina contra influenza foram distribuídas para todo o  Brasil. Foram entregues aos estados um total de 79,9 milhões de unidades, com investimento de 1,1 biljhão de reais para a campanha nacional. De janeiro a maio deste ano, contraposto ao mesmo período do ano passado, foram 4.283 casos a menos da gripe no país. Em 2019 foram 5.800 brasileiros contagiados com influenza e em 2020, apenas 1.517.

A nossa equipe questionou a Prefeitura de Nova Friburgo se a campanha terá continuidade aqui na cidade. A Secretaria de Comunicação afirmou que, enquanto houver estoque, a imunização acontecerá. A vacinação retomará nos mesmos dias, terças e quintas, de 09h da manhã à 13h da tarde. Entretanto, não será aberto à população geral, será para crianças, adultos, gestantes e puérperas.  

De acordo com o Balanço Geral Município, o indíce durante a Campanha Nacional de Vacinação contra  Gripe foi o seguinte:

ÍNDICE DE VACINAÇÃO NO MUNICÍPIO DE NOVA FRIBURGO
  GRUPOSistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI)   DOSES APLICADAS  Cobertura Vacinal (%)
POPULAÇÃO54.712 66.585 
GESTANTES1.618 604 37, 33
CRIANÇA11.7865.203  44, 15
PROFISSIONAL DE SAÚDE4.4136.215 140,83
ADULTOS10.3625.442  52, 52
PUÉRPERAS266 153  57, 52
IDOSOS26.26748.968186,42

A vacina não é eficaz contra o novo coronavírus, porém auxilia o profissional de saúde na exclusão do diagnóstico. O Ministério de Saúde alerta a população para a imunização, por ser uma questão de proteção social, mesmo com o isolamento social e principalmente, para os grupos prioritários.

Por Hillare Pontes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *