Nova Friburgo é alvo de investigação contra fraudes de pontos na CNH

O município de Nova Friburgo foi alvo da investigação intitulada “Zero Ponto”, iniciada com o intuito de desarticular uma quadrilha que atuava na transferência de pontos de CNH do real infrator da multa de trânsito para o nome de uma empresa ou para terceiros, sem o conhecimento dos mesmos. Essa ação foi feita pela Polícia Civil em parceria com o Detran-RJ. Seis pessoas foram presas, incluindo o chefe da organização. Os agentes também apreenderam processos administrativos referentes às fraudes para identificar outros envolvidos na prática criminosa.

Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em casas e órgãos de trânsito, sendo aqui em Nova Friburgo e também em São Gonçalo.

Essa investigação começou em julho de 2020, quando uma empresa de locação de veículos comunicou que um automóvel não havia sido devolvido. Foi então constatado que o carro havia sido transferido de forma fraudulenta para uma pessoa sem autorização dela. A vítima então foi chamada a depor, disse que desconhecia o fato e ainda informou que várias infrações de trânsito foram passadas para o nome dela também de forma irregular. Como justificativa ela disse que sofreu um acidente e teve seus documentos divulgados nas redes sociais, aí começaram essas ações envolvendo o nome dela.

Ainda na investigação foi constatada que uma das pessoas investigadas transferiu quase 3 mil multas para seu nome, totalizando mais de 15 mil infrações diversas como real infratora. Logo em seguida dessa transferência, ela entrava com recurso para receber o dinheiro de volta, porém os agentes descobriram que a pessoa em questão nem CNH possuía, então não poderia ser ela autora dessas infrações.

O Detran-RJ informou ainda que irá investigar se há envolvimento de funcionários do departamento e também analisar os desdobramentos desta grande operação. E deixou um alerta para que a população fique atenta quando for contratar empresas de recurso de multas.

Foto: Divulgação governo do estado.

Por Isabella Chaboudt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *