Paralisação confirmada: Nova Friburgo amanhece sem ônibus nesta quinta-feira

Nova Friburgo acordou na manhã de hoje, 29, sem ônibus. O fato se deve a greve dos funcionários da Nova Faol, que paralisaram suas atividades em protesto contra o não posicionamento da prefeitura em relação ao futuro do transporte público na cidade, e consequentemente dos empregos dos 608 colaboradores da concessionária.

Na noite de ontem, 28, representantes da classe trabalhadora e do Sindicato dos Rodoviários chegaram a se reunir com o prefeito Johnny Maycon para tentar um acordo, porém não houve um consenso entre as partes e após uma assembleia geral na garagem da Nova Faol, foi efetivado o movimento de greve no transporte. A paralisação, a princípio, é geral, afetando mais de 80 linhas de ônibus da cidade.

Em entrevista a página Blitz News, o diretor do Sindicato, Adegilson José da Silva, disse que os funcionários aguardam notificação do Ministério Público para retornar com 30% da operação. Por se tratar de um serviço essencial, a Constituição Federal não permite a paralisação total do setor de transportes.

A prefeitura de Nova Friburgo, em nota, disse que a Procuradoria-Geral do Município protocolou nesta quarta-feira, 28, um pedido no Ministério Público do Trabalho para que o órgão intermedie as negociações com a categoria. O Município argumenta que embora a greve seja um direito constitucional garantido ao trabalhador, é preciso que haja prévia tentativa de conciliação, convocação de assembleia geral específica para definição das reivindicações, deliberação com quórum mínimo, e notificação prévia de, no mínimo, 48 horas. Sem estes requisitos, a paralisação configura-se ilegal e abusiva.

A Nova Faol se manifestou através dos grupos de linha, que a empresa mantém no WhatsApp. A concessionária pediu desculpas pelos transtornos causados pela falta de transporte e afirmou que após reunião de ontem com o prefeito, os sindicalistas e trabalhadores foram para frente da garagem e impediram a saída dos ônibus. A empresa ainda diz estar tentando por meios legais reconduzir a frota para rua.

Atualização:

No início da tarde, os grevistas cumpriram a determinação do Ministério Público previsto na Constituição Federal, que designa um mínio de 30% de funcionamento do transporte durante paralisações. Com isso, alguns ônibus voltaram a circular em Nova Friburgo.

Por Juan Victor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *